• Verônica Bernardino

5 FORMAS DE AJUDAR MULHERES QUE SOFREM VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

(3 minutos de leitura)


A cada 15 segundos uma mulher sofre violência doméstica no Brasil. Mais um caso de agressão contra a mulher veio a público, impossível não se comover. Eu me comovo só de saber que isto acontece sem ao menos a gente saber. Mas precisamos falar sobre isto, minha marca é voltada para mulheres e sinto que preciso encontrar uma forma para ajudá-las de alguma forma. E acredito que a informação é imprescindível pra isso.


Estudei por meio de conteúdo do judiciário e reuni informações. E quero dividir com você mulher que sofre com isto, que conheça ou venha a conhecer alguém que sofra.


Vivemos em uma sociedade pautada na força masculina contra a fragilidade feminina. Fomos criadas achando que somos frágeis, incapazes e temos que aguentar a força masculina sobre nós. Eu, particularmente, não vejo sentido em querer igualdade com o masculino nesta atual sociedade, porque não vejo vantagem nisso. Acredito que nós mulheres podemos fazer mais com nossa autenticidade ao invés de nos comparar e querer igualdade com os homens. O masculino está desequilibrado e usando do poder que adquiriram há milênios para piorar as coisas.


Claro que existem homens maravilhosos, não vamos generalizar. Porém, até nós mulheres somos machistas, fomos criadas pra ser. Por exemplo, quando você vê uma mulher dirigindo um carro importado e caro, o que você pensa? Que aquele carro é do marido, do irmão, do filho, do namorado, do pai ou fruto de prostituição? Dificilmente as pessoas pensam que aquele carro é da mulher ou que ela seja capaz de conquistar algo grandioso sem um homem. É neste dia a dia e nos detalhes que o patriarcado abusa do poder.


Nós como sociedade temos responsabilidade sobre isto e temos que nos mover para sanar isto. Não feche os olhos. Contra mulheres, contra crianças, contra animais, violência contra vulneráveis ou qualquer tipo de violência é insanidade e tem que ser parado. Então vamos por meio da informação ajudar quem sofre disto ou caso viemos a sofre, saber o que fazer.


5 formas de ajudar:

1 - NÃO JULGUE

Se a mulher te procura para desabafar, não julgue e não a coloque como culpada por não conseguir sair desta situação. Saiba ouvir e compreender os motivos que levam a mulher a se sujeitar às agressões e ameaças.


2 - EMPATIA

Se coloque no lugar dela e busque em conjunto com a vítima uma melhor solução.


3 - DENUNCIE VOCÊ MESMA O AGRESSOR

"No caso de lesão corporal, para o início da ação penal não é necessário o consentimento da vítima (é o que chamamos de ação penal pública incondicionada à representação da vítima), portanto, a ação penal em face do agressor prosseguirá independentemente da vontade da mulher agredida.


Em todos os casos, você poderá fazer a denúncia sem o acompanhamento ou autorização da vítima. A partir do momento que a mulher fizer a representação diante de qualquer autoridade, somente perante o juiz ela poderá renunciar à representação feita, o que dificulta que a mulher “volte atrás”, como geralmente ocorre devido ao que chamamos de “ciclo da violência” (que é uma repetição de condutas verificada na maioria dos casos de violência doméstica)."

(Fonte: Jus.com.br)


4 - NUNCA PROCURE O AGRESSOR

Não é recomendável procurar o agressor e tentar intermediar o fato, isto pode gerar um risco para você e para a vítima. Procure autoridades competentes como Delegacia da Mulher. Em vários estados já existe a delegacia eletrônica que você pode denunciar sem sair de casa e anonimamente. Verifique se seu estado já a possui.


5 - REDE DE APOIO

Por mais que vítima peça que não, é recomendável que pessoas próximas estejam cientes da situação e ofereçam apoio.


A vítima se sente culpada, pois um agressor a convence disto. Denuncie! Precisamos nos unir como mulheres e seres humanos. Mostre pra ela que, ela é capaz de ser independente deste agressor tanto emocional quanto economicamente. "O agressor desqualifica a vítima constantemente até convencê-la de que ela jamais teria outro parceiro. Com a autoestima baixa, ela não consegue se imaginar em um relacionamento saudável e acaba aceitando a situação." Isto tem que acabar. E fique atenta aos sinais tanto nos seus relacionamentos quanto das mulheres próximas de você.


E nunca julgue, acolha!

Compartilhe, informações salvam vidas.